Botequim ecológico e sociocultural

Coletivo, Mambo & Artivisme

O Coletivo JOTAPUÃ

Administração, curadoria e coordenação geral JotapuaCatherine Schlup
IFELAYA Ltda

Administração, curadoria e coordenação geral
Idealizadora do projeto coletivo Jotapuã, Catherine teve 15 anos de experiência na produção cultural na Europa, onde criou a empresa Ifelaya, lhe permitindo construir duráveis e estimadas parcerias internacionais. Sediada na Bahia desde 2009, a Ifelaya segue o seu caminho, abrindo novas colaborações no continente americano e fortalecendo a existente rede europeia.
A Ifelaya é uma empresa cuja vocação é a criação e a divulgação de projetos de qualidade, tanto instrumental quanto vocal, teatral, audiovisual, de artes visuais e de dança, com colaborações interestaduais, internacionais e/ou multiculturais, privilegiando o diálogo e a diversidade, aliada aos trabalhos sociais, pedagógicos e sócio ambientais pelos quais JOTAPUÃ será o espaço de implementação.

Curadoria de artes plásticas e cenografia JotapuaLumumba

Curadoria de artes plásticas e cenografia
Artista autodidata, Lumumba iniciou sua trajetória em 2001. Pintando orixás em juta, traduzindo os mitos iorubas, influenciado por Michelangelo e Boris Vallejo. Antes, em 2009, dedicava-se a trabalhos cenográficos: Parada Momentos Mágicos Disney World, óperas infantis para o Teatro Municipal de São Paulo, Dreamworks, Oktoberfest, Boteco da Diversidade, entre outros. Em agosto de 2017, realizou a vernissage Pig is Pop, no icônico Bar Dona Onça, no Centro Histórico de São Paulo. A exposição reuniu parte de uma série inspirada na Pop Art e num debate tendo como ponto de reflexão a controversa palavra “porco”.
Depois de se aprofundar na obra de Jean-Michel Basquiat e sua trajetória sociopolítica, Lumumba sentiu necessidade de “ir pra rua”, entender seu código singular, falar com as pessoas, conhecer outros artistas e trocar experiências que somente a rua proporciona. Em setembro de 2018, realizou sua primeira exposição individual, Imersão, resultado de duas vivências no Parque Indígena do Xingú em 2017 e 2018, e criou o workshop de street art sobre a relação estabelecida no seu próprio trabalho a partir da estética de Jean-Michel Basquiat e da arte xinguana. Lumumba é afro-indígena, descendente de congoleses Tetelas da província do Kassaï, um caso raro de terceira geração nascida no Brasil com o nome da escravizada, e bisneto de indígena da etnia Puri-Guarani, da serra do Caparaó e define o seu trabalho como uma eterna busca por uma identidade afro-indígena, num ponto de convergência primitivista entre Basquiat e Xingú.
No coletivo Jotapuã, Lumumba cuida da curadoria das artes plásticas, da identidade visual e da cenografia do espaço, que está sendo realizada com materiais de recuperação e fibra de vidro.

Novais

Coordenação da segurança e edição de produtos gráficos
Novais é ex-militar e, atualmente presta serviço de segurança e é licenciado pelo Sebrae. Ao longo do seu percurso profissional, desenvolveu várias atividades tais como salvamento, práticas gerais em situações de risco, atendimento ao cliente, trabalho em equipe, que lhe permitiram atuar com rigor e qualidade em desempenho de futuros dos eventos.

Agnaldo Mattos

Producteur audiovisuel
Instagram

Design gráfico, fabricação cenografia, assistente técnica shows JotapuaGarlei Souza,
PALETA MEI

Design gráfico, fabricação cenografia, assistente técnica shows
Além do seu talento artístico, Garlei se caracteriza pela versatilidade das suas habilidades. Atualmente, ele é sonoplasta e cenotécnico do monólogo Encruzilhada, do ator Leno Sacramento e cria e fábrica móveis a partir de madeiras reutilizáveis com a sua empresa, a PALETA Arte Sustentável.
Ele foi responsável pela cenotecnia e contrarregragem de vários espetáculos realizados pelo núcleo de atores do Bando Teatro Olodum, tais como, Dô, com direção do dançarino japonês Tadashi Endo, Ô Paí, ó, Áfricas, Cabaré e Erê; do espetáculo infantil da atriz Cássia Vale, Sarau da Calu; do show Quintais, da cantora Clécia Queiroz, no Café Teatro Rubi e no Teatro Castro Alves (TCA); em festivais como A Cena tá Preta, Filte (Festival Internacional Latinoamericano de Teatro da Bahia) e Viva Dança; criou o cenário do Virote do Solar 30 anos, em comemoração de aniversário do espaço multicultural Solar Boa Vista, no Engenho Velho de Brotas.
Inquieto e curioso, Garlei cursou várias oficinas, tais como Oficina Técnica Maquinária Cênica, por Pablo Oliveira no TCA; Oficina de Iluminação P.H.I.A (Programa de Habilidades em Iluminação e Áudio); Oficina de Iluminação Cênica em Micro Escala: Pensando e Projetando como iluminador, ministrada por Moisés Victório; Curso de Edição de Vídeo no instituto Eletrocooperativa, ministrado por Igor Caiê do Amaral; Oficina Os 12 Princípios da Animação (Audiovisual), ministrada por Tatiane Cubeiros, no 4° Animaí!, realizado pela Dimas/Funceb.

Chefe de cozinha e gerente do restaurante JotapuaMiguel Santos,
MIGUELITO MEI

Chefe de cozinha e gerente do restaurante
Formado em organização de micro e pequena empresa, encarregado de logística, graduado em Gastronomia com complementações em boas práticas em serviços de alimentação. Além de ser tecnólogo em eventos, Miguelito tem uma experiência variada em gestão de estoques, liderança e treinamento de equipe, assim como em análise do mercado.
Nascido e crescido no interior baiano, numa casa de agricultores familiares, Miguelito é um entusiasta das práticas tradicionais de cultivo orgânico e de técnicas de fabricação de baixo impacto ambiental, que coincidem com aquelas que lhe foram ensinadas pelos seus pais. Apaixonado pelas receitas tradicionais brasileiras, a chamada etnogastronomia, ele se tornou um curioso também gastronomia internacional a partir das suas experiências profissionais em Luanda, capital da Angola.
Entre suas metas para o projeto Jotapuã, Miguelito planeja cultivar uma horta e usar seus produtos na elaboração do seu cardápio, de modo a abranger a diversidade socioeconômica dos clientes, com alternativas para todos os bolsos. Outro ponto de sua atuação será a busca por soluções inovadoras em embalagens de delivery de alimentos, em adequação com o objetivo lixo zero.

Co-gerente do bar e responsável pelo atendimento ao público JotapuaDaniel Belarmino

Co-gerente do bar e responsável pelo atendimento ao público
Daniel tem longa experiência em atendimento, eventos culturais, festas privadas, feiras, festivais e gerência de bares tais como na Pizza da Chapada, no Diogo Bar, no Café do Farol, o Solar do União e Jazz Na Avenida.

Relações públicas JotapuaRoberto Morais

Relações públicas
Roberto é o responsável histórico da Livraria LDM, no lobby do Espaço de Cinema Glauber Rocha, na Praça Castro Alves, no Centro de Salvador (BA). A LDM é especializada em Ciências Sociais e Filosofia e, pelo temperamento generoso e inquieto do Roberto, tornou-se um ponto de encontro de intelectuais, artistas e formadores de opinião.

Assistente de coordenação e curadora teatro de rua JotapuaAdriana Maciel,
MEI

Assistente de coordenação e curadora teatro de rua
Atriz de teatro popular com experiência de espetáculos de fantoche, caixa e de rua, desde 2001, desenvolve teatro, em ônibus urbano.
Tem também experiência como produtora cultural em eventos de música, atualmente ativa neste foco.

Direção técnica / shows JotapuaEdu Maia

Direção técnica / shows
Edu Maia é hoje o técnico de som do prestigiado Balé Folclórico da Bahia e acompanhou artistas como Alceu Valença, Barão Vermelho, Caetano Veloso, Cazuza, Gal Costa, Geraldo Azevedo, Gilberto Gil, Hermeto Pascoal, João Gilberto, Luiz Melodia, Marcio Mello, Maria Bethânia, Marina Lima, Sivuca e Timbalada, além de ter colaborado com empresas importantes do setor, como Augusto Menezes Sonorização, João Américo Sonorização, e em eventos como o Festival de Lençóis, Festival de Música Instrumental e Festival de Verão de Salvador, entre outros.

Comunicadora, performer, artivista e produtora cultural JotapuaJanete Catarino

Comunicadora, performer, artivista e produtora cultural
Em Salvador, todo o mundo conhece Janete Catarino, uma verdadeira entidade do artivismo baiano e operária da arte, como ela própria se intitula. Durante toda sua trajetória estudou e morou no Centro Antigo de Salvador. Hoje reside em um dos bairros mais efervescentes do Centro Histórico, onde não é raro ouvir pessoas a chamarem carinhosamente de “Prefeita do Santo Antônio”. Janete foi delegada municipal e estadual de Cultura por quatro anos e conselheira nata do Coletivo de Música do MINC de 2009 até 2016.
Ela foi contemplada em diversos editais de Dança, Teatro, Música e Artes Visuais através dos mecanismos das leis de Cultura: Funceb, Secult, Lei de Incentivo FazCultura, MinC, Lei Rouanet – FNC, Funarte, Petrobras, BNB de Cultura, Sesc, entre outros. Também é comunicadora e produtora cultural na maioria dos projetos idealizados, trabalhando com diversos profissionais da área de jornalismo e da comunicação social e, consequentemente, da comunicação digital.

Patrice Deloupy
Pajé de Jotapuã

Patrice, um dos fundadores do projeto Jazz Na Avenida, nos apresentou e nos recomendou ao proprietário do espaço que foi nomeado Jotapuã em março de 2019. Ele iria participar do projeto como um verdadeiro “canivete suíço”, por suas tantas habilidades desenvolvidas no recorrer da vida. No entanto, precisou voltar para a França devido a problemas de saúde. Cuidaremos das ferramentas que ele nos ofereceu antes de viajar com o maior carinho, e esperamos tê-lo de volta pronto e preparado a viver esta experiência, na qual ele está sempre presente, mesmo distante. .

Horários de abertura

Sexta, sábado, domingo, segunda-feira
das 10h às 22h

Contato via: WhatsApp

Reserva no Facebook

Programação

Assine nossa programação